Clique aqui para voltar à tela inicial da ajuda


Criando instalações


As instalações são criadas por meio de um arquivo de projeto, que pode ser criado por um assistente fácil ou manualmente, "digitando-se" os comandos. Tem a estrutura similar aos arquivos INI. Não é complicado, no início pode até parecer um pouco. O assistente de criação cria um script ideal para a grande maioria das instalações, porém uma série de outras coisas podem ser personalizadas.

O arquivo de projeto é um arquivo de extensão .mpi (de Mep Installer), e você pode editá-lo no próprio compilador (que é o recomendável, pois ele colore as diversas partes do script) ou num editor de textos puro qualquer, como o Mep Texto ou o Bloco de notas, por exemplo.

Na hora da compilação, o compilador do Mep Installer "lê" o arquivo de script, e gera o programa de instalação de acordo com o que o script indicar. O resultado é um arquivo executável, já seu próprio programa de instalação pronto, que geralmente fica na pasta "Output". Essa pasta ficará no mesmo local em que você salvar o arquivo de projeto. Se você compilar sem salvar, seu programa de instalação ficará na pasta "Output" dentro da pasta onde o Mep Installer foi instalado (abra-a pelo menu "Ferramentas > Abrir pasta de saída...", na tela do compilador).

Há alguns exemplos na pasta "Exemplos", que fica na pasta onde o Mep Installer foi instalado. Você pode estudá-los ou até aproveitá-los nas suas instalações.

Dica para gerar rapidamente um programa de instalação: Abra o compilador e, na tela de entrada, selecione a opção "Utilizar o assistente fácil" e dê OK (ela já vem marcada, basta dar enter!). Ele é mais do que o suficiente para a grande maioria das instalações! Clique aqui para ver passo a passo como utilizá-lo, desde o início até a conclusão da geração do arquivo de instalação.

Formato do arquivo de projeto


O arquivo de projeto é formado por seções, grupos de opções e configurações. Os nomes das seções são identificados entre colchetes, e aparecem em negrito na tela do compilador. Os itens referentes a uma determinada seção devem estar "dentro" dela. Algumas seções possuem itens como diretivas, idênticas aos arquivos INI. Por exemplo:

[Setup]
AppName=Meu Programa
AppPublisher=Meu nome

Outras seções podem possuir mais parâmetros, geralmente separados por um ponto-e-vírgula. Veja:

[Files]
Source: "MeuPrograma.exe"; DestDir: "{app}"

Não é recomendável especificar duas vezes uma mesma seção, coloque as diretivas ou parâmetros de uma mesma seção embaixo da mesma identificação dela.

Você pode colocar comentários dentro do script. Comentários são textos que não são compilados, eles apenas indicam alguma coisa, em especial para quem irá ler ou trabalhar com o script ("script" é o "texto" do arquivo de projeto). Basta iniciar uma linha com o ponto-e-vírgula:

; Isto é um comentário... Blá, Blá, Blá......

Se você possui um arquivo de projeto com informações que deverão se repetir em várias instalações, pode utilizar a diretiva #include. O conteúdo do arquivo indicado será inserido no local especificado, e após ele as informações que estiverem serão continuadas, como se fossem um arquivo só. A sintaxe é:

#include "meuarquivo.mpi"

A extensão não precisa ser necessariamente .mpi, pode ser outra se você quiser, como .txt, por exemplo.

O arquivo informado deverá estar na mesma pasta do arquivo de projeto, ou então você pode informar o caminho completo (por exemplo, "C:\Minha pasta\Meu arquivo.mpi"). Se o arquivo estiver na mesma pasta do compilador, você pode utilizar assim: #include compiler:teste.mpi. Aliás, "compiler:" será substituído pelo caminho da pasta do compilador, em diversas seções.

Parâmetros nas seções


Todas as seções do arquivo de projeto, com exceção de [Setup], [Messages], e [LangOptions], contém linhas separadas em parâmetros. Veja o seguinte exemplo, da seção [Files]:

[Files]
Source: "MEUPROGRAMA.EXE"; DestDir: "{app}"
Source: "AJUDA.HLP"; DestDir: "{app}"
Source: "LEIAME.TXT"; DestDir: "{app}"; Flags: isreadme

Cada parâmetro consiste em um nome, seguido por um identificador, e então um valor. Exceto em alguns poucos casos, os parâmetros são opcionais. Eles assumirão um valor padrão se não forem especificados. Múltiplos parâmetros em uma linha podem ser separados por ponto-e-vírgula, e podem estar em qualquer ordem.

Geralmente se utilizam aspas duplas (") para definir o valor de um parâmetro definido pelo usuário, como por exemplo o nome de um arquivo. Usar aspas geralmente não é obrigatório, mas é recomendável principalmente quando o valor tiver espaços.

Se precisar utilizar aspas duplas em alguma definição, coloque duas aspas duplas consecutivas, para evitar conflito com as aspas delimitadoras do parâmetro. A linha a seguir:

"Este exemplo ""contém aspas"" embutidas"

Ficaria assim, após a compilação:

Este exemplo "contém aspas" embutidas

Se você quiser que o valor de um parâmetro seja uma única aspa dupla, utilize então quatro caracteres de aspas duplas: """". Os caracteres das extremidades cercam o valor como sendo um valor definido pelo usuário, e os dois do meio são para gerar um único caractere de aspa.

Parâmetros comuns
Utilize para instalar arquivos diferentes em diferentes versões de Windows


Existem dois parâmetros adicionais que são suportados por todas as seções que utilizam diversos parâmetros, separados por espaços. São eles MinVersion e OnlyBelowVersion. As versões de Windows serão identificadas por um número, clique aqui para ver uma lista com os números das versões.

MinVersion (versão mínima de Windows necessária...)
Descrição: A mínima versão de Windows e Windows NT respectivamente para que a entrada seja processada. Se você utilizar "0" para uma das versões, então a entrada não será processada em nenhuma versão daquela plataforma. O número da compilação (Build) e de atualizações como Service Packs podem ser incluídos no número da versão. Note que isto anula qualquer diretiva de MinVersion especificada na seção [Setup] do projeto.

Exemplo: MinVersion: 4.0,4.0

OnlyBelowVersion (somente abaixo da versão...)
Descrição: É basicamente o oposto de MinVersion. Especifica a mínima versão de Windows e Windows NT respectivamente para que a entrada não seja processada. Por exemplo, se você definir 4.1,5.0 e o usuário estiver rodando o Windows 95 ou o NT 4.0 a entrada será processada, mas se o usuário estiver rodando o Windows 98 (versão 4.1) ou o Windows 2000 (que é o Windows NT 5.0), ela não será processada. Colocando "0" para uma das versões então não há limite de versão superior. O número da compilação (Build) e de atualizações como Service Packs podem ser incluídos no número da versão. Note que isto anula qualquer diretiva de OnlyBelowVersion especificada na seção [Setup] do projeto.

Exemplo: OnlyBelowVersion: 4.1,5.0

Parâmetros de tarefas (tasks) e componentes


Há dois parâmetros adicionais que são suportados por todas as seções que utilizam parâmetros, com exceção das seções [Types], [Components] e [Tasks]. São eles:

Components (Componentes)
Descrição: Faz referência a um item de uma lista separada especial de nomes de componente, para que o programa de instalação detecte a qual componente o item pertence. Se o usuário final selecionar um componente desta lista, a entrada será processada (por exemplo: o arquivo será instalado, o atalho será criado, etc).
Uma entrada sem um parâmetro Components  que especifique determinado nome de componente sempre será processada, a menos que seu parâmetro de Tarefas (Tasks, veja abaixo) dizer que não deva. O parâmetro Components será ignorado se a seção [Components] estiver vazia ou não existir. Ao definir a seção [Components], automaticamente aparece uma tela na instalação solicitando que o usuário escolha os componentes (e o tipo de instalação, por exemplo, completa, personalizada ou compacta - mínima).

Exemplo:

[Files]
Source: "MEUPROGRAMA.EXE"; DestDir: "{app}"; Components: principal
Source: "AJUDA.HLP"; DestDir: "{app}"; Components: arqAjuda
Source: "LEIAME.TXT"; DestDir: "{app}"

Tasks (Tarefas)
Descrição: Faz referência a um item de uma lista separada especial de nomes de tarefas, para que o programa de instalação detecte a qual tarefa o item pertence. Se o usuário final selecionar uma tarefa desta lista, a entrada será processada (por exemplo: o arquivo será instalado, o atalho será criado, etc). Uma entrada sem um parâmetro Tasks  que especifique determinado nome de tarefa sempre será executada, a menos que seu parâmetro de componentes (Components, veja acima) dizer que não deva.
O parâmetro Tasks será ignorado se a seção [Tasks] estiver vazia ou não existir. Ao definir a seção [Tasks], automaticamente aparece uma tela antes do início da extração dos arquivos, com as tarefas adicionais para que o usuário selecione as que deseja que sejam processadas.

A caixa de marcação (checkbox) "Não criar nenhum ícone no menu Iniciar" não controla as entradas na seção [Icons] que tenham um parâmetro Tasks, desde que estas tenham a própria caixa de marcação delas. Então o programa de instalação mudará o texto "Não criar nenhum ícone no menu Iniciar" para "Não criar nenhuma pasta no menu Iniciar", se você tiver qualquer ícone com um parâmetro Tasks.

Exemplo:

[Icons]
Name: "{group}\Meu Programa"; Filename: "{app}\Programa.exe"; Components: principal; Tasks: startmenu
Name: "{group}\Ajuda do Meu Programa"; Filename: "{app}\Ajuda.hlp"; Components: ajuda; Tasks: startmenu
Name: "{userdesktop}\Meu Programa"; Filename: "{app}\Programa.exe"; Components: principal; Tasks: desktopicon

Modo básico e modo avançado


O Mep Installer agora pode trabalhar no modo básico ou avançado. O modo básico é ideal para a maioria das instalações, e o modo avançado adiciona algumas funcionalidades especiais. No modo avançado é possível exibir uma tela na instalação que solicita o nome de usuário e organização, e pode ainda proteger o programa com um sistema rápido e eficiente - com um número serial gerado dinamicamente para cada usuário.

Para alternar entre os modos básico e avançado: abra o Compilador do Mep Installer, vá no menu "Ajuda" e escolha "Modo de trabalho". No modo básico, alguns comandos e itens de menu podem ficar indisponíveis.

Associando os arquivos .mpi ao Mep Installer ST


Os arquivos de projeto do Mep Installer têm a extensão .mpi. Se, durante a instalação você não permitiu a associação, é recomendável então fazê-la. Você pode reassociar os arquivos .mpi ao Mep Installer por qualquer outro motivo, quando quiser. Estando devidamente associados, sempre que você der um duplo-clique sobre um arquivo de extensão .mpi pelo Windows Exploer (por exemplo, estando você numa pasta qualquer ou na área de trabalho) ele será carregado no Mep Installer, e estará pronto para edição ou compilação. Uma outra forma de compilar um projeto já salvo é clicar no ícone dele com o botão direito do mouse e escolher a opção "Compilar", no menu de contexto que aparece.

Para reassociar o Mep Installer aos arquivos .mpi, abra o compilador. Clique em Ferramentas, Opções, e então clique no botão "Associar os arquivos .mpi neste computador". Se você estiver utilizando uma versão de Windows da plataforma NT, tal como o próprio NT, o 2000 ou o XP, para efetuar a associação você deverá possuir direitos administrativos ou de usuários avançados no computador.

Ao desinstalar o Mep Installer, ele remove automaticamente a associação. Se por algum motivo você quiser mantê-lo instalado, mas sem estar associado aos arquivos de projeto, execute na linha de comando o seguinte:
"C:\Arquivos de programas\Mep\Mep Installer\Compil32.exe" /UNASSOC
Se quiser associá-lo pela linha de comando, pode utilizar:
"C:\Arquivos de programas\Mep\Mep Installer\Compil32.exe" /ASSOC
Lembre-se de trocar "C:\Arquivos de programas\Mep..." pela pasta onde o Mep Installer foi instalado. Utilize as aspas por causa dos espaços.


Clique aqui para voltar à tela inicial da ajuda